Moldura-MyQuiro-2 model 2.png

ÚLTIMO POST

Pontos gatilho: você sabe o que são?

Técnicas da massoterapia são utilizadas para liberar as tensões causadas especificamente nestes pontos


Quem nunca sentiu aquela fisgada em algum lugar do corpo, perceptível posteriormente pela rigidez da musculatura? Seja no pescoço, nas costas, nos glúteos, na coxa ou na panturrilha, os pontos gatilho são tranquilos de serem identificados e de tratados. Mas antes de falar sobre isso: você sabe o que eles são?


Pontos gatilho são locais pontuais do corpo acometidos por tensões musculares. Os incômodos podem ter inúmeras origens e causas, como, por exemplo:


- Postura do corpo ao trabalhar ou dormir;

- Treinos sem orientação ou em excesso;

- Estresse;

- Sedentarismo;

- Movimentos repetitivos ou bruscos...


“São muitos os motivos que podem desencadear um ponto gatilho, inclusive alguma ação de rotina, como varrer a casa, ou mesmo passar por um momento de estresse psicológico”, alerta o massoterapeuta Túlio Tobias.


Essas causas resultam em desconforto muscular, identificado pela dor, hipersensibilidade, fraqueza muscular, limitação do movimento, aumento da temperatura no local – inclusive, em alguns casos, pode causar inflamação das fibras musculares, aumentando a área dolorida e gerando mais pontos devido à sensibilidade na região -, entre outros.

Tipos de pontos gatilho


Apesar de parecer simples a identificação dos pontos gatilho, nem todos eles são iguais. Existem alguns tipos, como:


Ponto gatilho ativo – gera uma dor aguda, mesmo que não seja estimulado;

Ponto gatilho latente – gera a dor somente quando apalpado, porém influencia em toda a região afetada, mesmo que não apresente dor constante;

Ponto gatilho satélite – focos de dor são criados a partir de um ponto gatilho principal.



Como tratar os pontos gatilho?


Aqui na MyQuiro os pontos gatilho são tratados com as técnicas da massoterapia, que auxiliam a aliviar os incômodos e eliminá-los, proporcionando maior conforto e bem-estar ao paciente.


Entre as técnicas que podem ser utilizadas está a liberação miofascial que, como o nome já diz, ajuda a liberar a fáscia muscular, tecido fibroso que envolve os músculos. O principal objetivo dessa prática, além do conforto, é tirar a pressão do local afetado, fazendo com que o sangue se espalhe e oxigene a região, melhorando o processo inflamatório.


Outra técnica que pode ser utilizada é a ventosaterapia, que estimula o aumento da oxigenação sanguínea e a liberação das toxinas por meio de ventosas que realizam a sucção da pele.


“Independentemente do procedimento, é importante realizá-lo com um profissional, que conheça os pontos certos e o tempo ideal para focar em cada local”, afirma o massoterapeuta.


Agora, quando não tratado, o ponto gatilho pode se tornar um problema mais grave e complexo, como uma lombalgia, tendinite, enxaqueca, torcicolo, entre outros.


Que tal liberar seus pontos gatilho aqui com a gente e se sentir pleno e relaxado? Agende um horário e se livre das dores!

67 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo